Lendas do UFC - Royce Gracie

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Lendas do UFC - Royce Gracie

Mensagem por Shadow em Qui Jun 13, 2013 10:10 am

Royce Gracie (Rio de Janeiro, 12 de Dezembro de 1966) é um profissional de artes marciais brasileiro e praticante de Jiu-Jitsu. É filho do grão-mestre Hélio Gracie, sobrinho de Carlos Gracie e irmão de outros nomes também conhecidos no mundo do Jiu-jtsu brasileiro e MMA (Mixed Martials Arts) mundial como Royler Gracie, Rickson Gracie, Rorion Gracie e outros.
Royce Gracie é faixa-preta de jiu-jitsu 7º grau, teve uma carreira vitoriosa dentro do vale-tudo mundial, sendo três vezes campeão do UFC e obtendo vitórias também no Pride e  K1 (eventos japoneses).
Tem em seu cartel, em lutas oficiais, 14 Vitorias, 2 Derrotas e 2 Empates (14-2-2). Royce está envolvido no MMA, desde o  seu início, veja um vídeo histórico de uma luta, onde acontecia esse tipo de evento somente dentro de academias e de forma não oficial, não se usavam luvas, e os lutadores sem técnicas básicas de Jiu-Jitsu eram massacrados. 
Royce encerrou sua carreira depois que foi pego no exame anti-doping pelo uso da substância Nandrolona.


 
 
Após um tempo ensinando jiu-jitsu nos EUA e provando sua eficácia em combates reais, Rorion conseguiu algum certo renome, angariando alunos famosos e ensinando técnicas de defesa e ataque para a S.W.A.T.. Rorion então pensou que o mundo deveria saber que o Gracie Jiu-Jitsu era a melhor arte marcial e resolveu procurar uma empresa de entretenimento para ajudá-lo a criar um evento nos moldes de um desafio Gracie, mas com maior organização, no qual fossem cobrados ingressos e que fosse transmitido pela televisão paga americana. 
Após se juntar à empresa SEG, Rorion pôde criar o UFC  e em 1993 realizar o UFC 1 - The Begining (o palco das lutas era uma jaula de grades em forma de octógono). Rickson Gracie, por ser o melhor lutador da familia e do mundo no momento, seria o representante natural, entretanto, desentendimentos pessoais entre os irmãos indisponibilizaram tal acontecimento, assim, o lutador escolhido por Rorion para representar a superioridade do GJJ não poderia ser outro: Royce Gracie, faixa-preta alto e magro, o homem ideal para provar que a técnica podia superar a força. A família se reuniu novamente para treinar e dar apoio a Royce. No evento, todos entraram com o tradicional trenzinho, um atrás do outro, mostrando que todos estavam unidos pelo mesmo ideal e mesmo que apenas um entrasse no ringue os outros estariam ali para ajudar e apoiar. Aconteceu o esperado pelos Gracie: Royce, mesmo mais leve que todos os participantes, chegando a ter disparidades de 30 kg, venceu todos eles por finalização; sagrou-se campeão do primeiro evento oficial do vale-tudo moderno, marcando uma época e chocando o mundo com a técnica do Gracie Jiu-Jitsu.
 

ROYCE NO UFC

Nesse UFC 1, haviam oito participantes de diversas modalidades de luta, por isso Royce fez três lutas na mesma noite. Visando a abrir esse leque, no UFC 2 - No Way Out eram dezesseis os participantes e Royce mais uma vez foi campeão, só que dessa vez com quatro vitórias por finalizações. No UFC 6, logo na primeira fase, Royce enfrentou um folclórico oponente chamado Kimo Leopoldo. Bem mais pesado e com um pouco de conhecimento de solo, Kimo dificultou a luta para Royce, foi uma verdadeira guerra com direito a golpe nos genitais e puxão de cabelo. Após sofrer um castigo imposto por Kimo e seus socos, Royce conseguiu a finalização com uma chave de braço invertida. O corpo de Royce não resistiu a essa luta e, muito castigado e cansado, ele não pôde continuar no torneio; chegou a entrar no octágono, mas não lutou.
Apesar do espetáculo da luta de Royce e Kimo no UFC 3, espectadores e fãs do Jiu-Jitsu brasileiro, aguardavam uma vitória plena e não uma desistência. Royce volta no UFC 4 que tornava-se mais acirrado. Enfrentando adversários mais pesados e mais técnicos, Royce venceu a todos, o último, Dan Severn, que havia mostrado ser o provável campeão. Este lutador de wrestling profissinoal foi finalizado com um triângulo, numa situação que lhe parecia favorável até o último instante. Royce Gracie surpreendeu comentaristas, locutores, milhares de espectadores e principalmente, Dan Severn. A luta demorou mais do que o tempo do contrato com o canal de TV, de modo que os últimos 2 minutos da luta não foram transmitidos pelo canal. Isto forçou uma mudança nas regras para a edição seguinte.
Royce ainda enfrentou Ken Shamrock no UFC 5, em uma luta que durou meia hora. O resultado foi o empate, porém frustrante para Royce e os Gracie. Já o oponente Shamrock, que havia sido derrotado por Royce no UFC anterior, comemorou muito o resultado e escreveu também seu nome na história. Após esse evento, Rorion e Royce abandonaram o UFC com alegação de não concordarem com as novas regras, que previam limite de tempo de quinze minutos e trinta nas finais, com decisão dos juízes. Essa regras fugiam aos ideais Gracie, que, com a sensação de missão cumprida, abandonaram o UFC.

LEGADO

Royce foi junto com seu irmão Rickson Gracie, os maiores divulgadores do MMA no mundo no início deste esporte (nos anos 90), Rickson fez sua parte no Japão diante da recusa de Rorion para que Rickson lutasse o UFC e Royce nos E.U.A, depois do sucesso dos dois irmãos, o vale-tudo foi ficando cada vez mais popular e se profissionalizou, se transformou em MMA e está em constante crescimento, sem contar que graças aos dois irmãos, é que o Jiu-Jitsu Brasileiro se tornou um pré-requisito fundamental para qualquer atleta de MMA.
Rickson esta invicto no MMA, das quase 500 lutas, somente 11 foram no MMA moderno, apesar disso, é considerado por todos da familia, inclusive por Royce que declarou que Rickson é 10 vezes melhor do que ele, assim, podemos comparar a grande importância que Royce teve para esse esporte, além de ter se sagrado várias vezes campeão do UFC (o torneio mais disputado de vale-tudo naquela época, em meados dos anos 90), além de ter o melhor cartel da família nesse esporte. Destemido, Royce nunca negou desafio, tendo inclusive aceitado voltar a lutar no ano 2000, depois de ter ficado parado por quase 4 anos, prosseguindo com diversas lutas até o ano de 2007 (fato que o Rickson não fez devido a idade avançada).
Primeiro, Royce voltou e lutou pelo PRIDE, enfrentando japoneses técnicamente melhores dos quais o Rickson havia enfrentado, como por exemplo Kazushi Sakuraba, conhecido como "exterminador de Gracies" e que chegou a vencer lutadores como: Vitor Belfort, Vernon White, Carlos Newton, Guy Mezger e Quinton Jackson; e enfrentou também Hidehiko Yoshida, que chegou a vencer nomes como Mark Hunt. Royce aceitou mais um grande desafio, quando enfrentou em 2006 o até então campeão do UFC Matt Hughes, perdendo no primeiro round, e por fim, fazendo uma revanche com Kazusgi Sakuraba em 2007 vencendo por pontos.
De 2000 a 2007, Royce oscilou entre vitórias e derrotas, mas aceitou voltar a lutar em um tempo em que o vale-tudo se transformou em MMA (devido as novas regras), e os lutadores eram muito melhores técnicamente que no passado, onde o Jiu-Jitsu passou a ser um pré-requisito para todos os atletas, e por isso, muitos renomados atletas da atualidade que observaram tais atitudes, concordam que Royce Gracie foi o membro da família Gracie que mais se destacou nos ringues do MMA, enquanto isso para os críticos, seu irmão Rickson Gracie procurava imacular sua imagem de vencedor, criando um marketing pessoal mesmo sem lutar no MMA moderno, devido a morte de seu filho por overdose e sua idade avançada... quando o Royce fez sua última luta no MMA em 2007, ele estava com 40 anos de idade, e quando o Rickson fez sua última luta no ano 2000 contra o melhor lutador japonês do momento, ele já estava com 41 anos. Idade semelhante a de parada do Royce.
Royce enfrentou e venceu lutadores bem mais pesados e de mais renome (apesar de ser inferior em técnica e força em relação ao seu irmão Rickson). O grande erro de Rickson para muitos dos críticos, foi não ter se aposentado oficialmente após sua última luta no ano 2000, visto que continuava a realizar desafios de "portas fechadas" e passar a década seguinte inteira fazendo um marketing pessoal, alegando por diversas vezes que poderia vencer qualquer oponente da atualidade facilmente e a qualquer momento, inclusive o grande nome do MMA entre os pesos-pesados, o russo Fedor Emelianenko que desafiou Rickson, quando completou 50 anos em 2008.
 
LENDAS DO UFC - ROYCE GRACIE

PARTE 1


PARTE 2


PARTE 3


PARTE 4


BIBLIOGRAFIA E REFERÊNCIAS
http://pt.wikipedia.org/wiki/Royce_Gracie
avatar
Shadow
Hardcore
Hardcore

Mensagens : 1118
Pontos : 1188
Reputação : 24
Data de inscrição : 10/05/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum